Como os Makers podem melhorar os resultados de sua empresa

20 dez

Você sabe o motivo de milhares de empresas estarem aderindo à Cultura Maker e, consequentemente, mudando completamente seu jeito de trabalhar? Sabe o porquê dessa cultura conseguir criar algo essencial, inovador e fundamental para o progresso de qualquer empresa? Esse artigo não só vai responder essas perguntas, como fazer com que você entenda sobre a cultura dos Makers e sua importância no cenário corporativo, além de compreender como estabelecer e estimular essa cultura em sua empresa.   

1) Os Makers e sua cultura  

Makers são pessoas que amam produzir, procurar saber a origem de tudo que vão trabalhar, construir as coisas do zero, entender os processos envolvidos na produção de objetos e desconstruir para compreender como realmente as coisas funcionam.  

“ O Maker é um grande solucionador de problemas. Ele não pode ter todas as competências para construir coisas, mas ele é curioso e procura meios de se resolver problemas das mais variadas formas. Qualquer um pode ser um Maker, desde que tenha o protagonismo de querer criar soluções e resolver problemas por ele mesmo, sem esperar que a solução venha dos outros” Antoni Cristiano Romitti, co-coordenador da Rede Fab Lab Brasil.

Essa cultura possui origem na filosofia do chamado “Do It Yourself!”, na qual a pessoa realmente coloca a mão na massa e constrói aquilo que ela precisa. Logo, a ideia é que o indivíduo aplique seus conhecimentos tecnológicos e técnicos em suas criações, conseguindo conectar pessoas e inovar. 

Em outras palavras, o objetivo da Cultura Maker é transformar ideias em realidade, desenvolvendo tecnologias, dispositivos e ferramentas, com a finalidade de encontrar soluções criativas e inovadoras para os problemas que a sociedade enfrenta.  

Existem quatro pilares que sustentam essa cultura, são eles: 

1.1) Criatividade 

Os Makers devem ser criativos, tendo a capacidade de criar com suas próprias mãos. Isto é, devem pensar fora da caixa na hora do trabalho, sendo proativos e, sobretudo, observando as oportunidades que surgem a todo o momento. 

Aliás, se você está se perguntando até onde a criatividade do Maker consegue chegar, leia esse nosso artigo. Após lê-lo, você ficará ciente de dez projetos criativos com o Arduino (plataforma de prototipagem eletrônica) que os Makers são capazes de realizar.

1.2) Colaboração 

Os Makers trabalham juntos, pegando uma ideia que já foi criada, renovando, recriando e, por fim, expondo para que outras pessoas possam usá-la como exemplo. Em outras palavras, o trabalho dos Makers deve ser colaborativo, muitas vezes acontecendo de equipes trabalharem em conjunto.  

“Para ser Maker a primeira coisa que você precisa é fazer, mas, dentro do que a gente acredita, não basta fazer, é preciso compartilhar” Maurício Jabur, Chief-Maker e fundador do PandoraLab, especialista em computação física e consultor de interatividade, projeção mapeada e automação.

Maker

A colaboração é imprescindível no trabalho de qualquer Maker.

1.3) Sustentabilidade 

Um dos objetivos da cultura Maker é de evitar desperdícios. Com base nesse objetivo, os itens sempre são feitos de acordo com a demanda, além de só ser utilizado os recursos que estão disponíveis, sempre procurando reciclar e reaproveitar os materiais, peças e produtos. Os Makers entendem que o planeta deve ser preservado e executam ações e serviços pensando em fornecer suporte e proteção ao meio ambiente. 

Caso esteja interessado em saber mais sobre essa área sustentável no mundo corporativo, confira nosso artigo para ficar por dentro da importância e dos benefícios que a sustentabilidade trás para sua empresa. 

1.4) Escalabilidade 

Na Cultura Makerpraticamente tudo que é produzido pode ser multiplicado, replicadoganhar escala. O fundamento desse pilar é a aceleração do crescimento da produção, com pequenos custos e de forma rápida. 

No Brasil, essa cultura está fazendo muito sucesso no setor da educação. Muitas escolas estão investindo em um ambiente diferenciado de aprendizagem, criando o chamado Espaço Maker que garante que os alunos desenvolvam novas competências e habilidades, como empatia e senso crítico.

Maker

Cada vez mais vemos crianças com mentalidade de Maker.

Enfim, se você está interessando em saber mais sobre mais sobre a importância dos Makers na área de educação, sugiro que você clique aqui para compreender o quão impactante essa cultura está sendo nas salas de aula.  

2) Cultura Maker: a grande aliada da sua empresa

Pelo fato de adotar um posicionamento mais autônomo e possuir mais flexibilidade e uma mentalidade mais inovadora, essa cultura se encaixou muito bem nas empresas.  

Então, o que a cultura Maker realmente fornece para uma empresa?  

2.1) Agilidade

Nesse cenário de competitividade alta e de mercado agitadoqual é empresa que não quer ser ágil? Os Makers não gostam de ficar parados, eles querem apresentar resultados o quanto antes. Dessa forma, esses fazedores sempre tentam encontrar maneiras de agir, sem hesitar.  

Logo, essa agilidade no processo mostra que os Makers começam a trabalhar desde o início e, mais importante, sem perder tempo.

2.2) Comunicação

Os Makers são bastante produtivos, conseguindo fazer com que as empresas realizem cada vez menos reuniões e encontros, uma vez que aprendem e entendem rapidamente os problemas, não perdendo tempo em achar soluções cabíveis. Assim, a comunicação de forma sucinta e definida, sem prolongamentos. 

2.3) Expansão de mercado 

Você sabia que os Makers possuem a capacidade de expandir o mercado? Esses fazedores sempre estão em constante trabalho, não parando de construir coisas novas e inovando o mercado, expandindo-o. Essa qualidade deles faz com que as empresas se deparem com novidades, segmentos e caminhos diferentes.

3) Estabelecendo e estimulando a Cultura Maker

As empresas que querem estabelecer a Cultura Maker devem realizar um contato direto com fazedores por profissão, por exemplo: investindo e apostando em produtos e soluções criadas por Makers, ou até contratando esses profissionais independentes para projetos.

Todavia, após o estabelecimento dessa cultura, muitas empresas ficam na dúvida de como estimulá-la em seu âmbito corporativo. Para que aconteça isso, é necessário realizar ações internas para seus próprios profissionais, como é o caso dos hackathons.

Criada no ano de 1999, hackathons são conhecidos por serem maratonas de programação e desenvolvimento de produtos. Nessas eventualidades são formadas equipes multidisciplinares, com designers, programadores e engenheiros, para encontrar respostas e soluções viáveis que ajudem o mundo.

Esses eventos funcionam como uma máquina de ideias e, naturalmente, fornecem benefícios para sua empresa. Por exemplo, a Intel, empresa multinacional de tecnologia, realiza anualmente essas maratonas e consegue reunir cerca 120 Makers pelo mundo todo por evento. Nesses hackathons, são distribuídos kits de desenvolvedor, com dispositivos Arduino (plataformas eletrônicas open source), softwares e acessórios eletrônicos.

É normal ver esses tipos de equipamentos nas maratonas de programação e desenvolvimento de produtos.

Caso você queira saber mais a respeito dos hackathons, recomendo que clique aqui para saber de tudo sobre esses eventos de sucesso.

4) Conclusão

A cada dia que passa só aumenta o número de empresas que adotam essa cultura, mostrando que o mercado está cada vez mais sendo marcado pelos Makers. Aliás, quer um exemplo de empresa que adotou essa Cultura Maker? A Idea – Product development, que passou a conectar as demandas dos seus projetos com Makers capacitados para desenvolver soluções.

No início desse ano, nosso CEO participou do Pequenas Empresas & Grandes Negócios, comentando sobre o funcionamento da Idea – Product development. Confira a reportagem aqui.

Você e sua empresa estão conectados com a Cultura Maker? Já promoveram ou participaram de eventos que promovem essa cultura? Não deixe de compartilhar suas experiências nos comentários!

Cássio Galvão

Logo do LinkedIn

Criador de conteúdo na Idea

Bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco. Já com prática e experiência na criação de vários tipos de conteúdo por 1 ano, agora almejando me aperfeiçoar na parte tecnológica como um todo.

Veja também:

  • 29 nov

    O poder da sustentabilidade dentro de sua empresa

    Continue lendo