Entenda como iniciar a escalar seu produto da maneira certa

07 maio

Um número crescente de empresas e startups de saúde vêm desenvolvendo dispositivos capazes de monitorar e fornecer informações em tempo real ao usuário. Seja ele o paciente que utiliza o dispositivo ou o seu médico responsável. Para materializar tais produtos e trazê-los para o mercado, essas empresas precisam não só tratar do desenvolvimento do software como também do hardware. Sendo este último considerado por muitos como a maior barreira para inserção do mesmo no mercado. Seja por falta de conhecimento técnico, ou longa curva de aprendizagem até conseguir escalar o seu produto.

1) Concepção, prototipagem e desenvolvimento

O processo de desenvolvimento do produto físico – ou hardware – se inicia com a concepção da ideia. Aqui os requisitos do produto físico e as suas principais funcionalidades são coletadas. A partir disso, se inicia o processo de desenvolvimento, quando o projeto é modelado digitalmente através de softwares CAD (Computer Aided Design) . Sendo possível realizar interações e alterações instantâneas no projeto mediante necessidades do cliente.

Com o projeto funcional e seu design validados, inicia-se a fase de construção do dispositivo físico. Através de um processo interativo entre desenvolvedor e cliente, busca-se sempre atender às necessidades e alinhar as expectativas de forma mais eficiente possível. Por fim, o projeto é validado por completo e o protótipo final é entregue junto ao seu manual ou datasheet. Neste manual constam informações como desenhos técnicos em 2D, 3D, e a lista dos materiais necessários para a sua confecção.

2) O que fazer com o produto desenvolvido?

Com o datasheet (Manual) em mãos, o cliente pode ir a uma empresa especializada em manufatura para começar a fabricação. Assim, cada projeto deve procurar uma empresa específica, podendo ser de usinagem, de injeção plástica ou qualquer outra forma, dependendo das especificações do projeto.

Um bom método para alcançar esse resultado é montar uma equipe sob demanda especializada, como fazemos aqui na Idea. Depois de determinarmos o escopo do projeto, alocamos uma equipe de Makers com as habilidades necessárias para executá-lo. Enquanto isso, gerenciamos o projeto e recolhemos o feedback do cliente. Através dessa metodologia de conexão das habilidades demandadas por um determinado projeto a Idea consegue entregar soluções altamente customizadas e focadas nas reais necessidades dos clientes. Se você quer trabalhar como Maker na nossa equipe acesse o link.

Mas lembre-se, para escalar seu produto, primeiro você deve validá-lo com o mercado e ter uma demanda estabelecida.

Victor Dueire

Logo do LinkedIn

Engenheiro Mecânico, Maker e CTO

Mestrando de Engenharia Mecânica e Bacharel em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Pernambuco com formação complementar em tecnologias de manufatura e materiais estruturais pelo MIT. Experiência em design para manufatura e simulação computacional de sistemas mecânicos. Domínio em fabricação digital (3D printing FDM, Laser Cutting, CNC Machining and Injection Molding Design)

Veja também:

  • 15 out

    O conhecimento que você precisa ter sobre a indústria 4.0

    Continue lendo